Feira do Fumeiro de Vinhais leva produtores a mostrar riquezas do “tesouro” de inverno

Feira do Fumeiro de Vinhais leva produtores a mostrar riquezas do “tesouro” de inverno

A Feira do Fumeiro de Vinhais é a “rainha” dos certames que por estes dias conquistam visitantes pelo estômago. A Feira do fumeiro mais antiga do país foi, ontem, apresentada e promovida na Casa de Trás-os-Montes de Braga como o maior cartaz turístico do concelho.

Em Vinhais, as lides dos produtores rurais pode resumir-se numa imagem: «um ano inteiro de trabalho para em fevereiro levar os melhores produtos à feira», ilustrou Carla Alves, coordenadora do certame, ontem, em Braga. A mesma responsável não hesitou em considerar que a feira é «a maior festa do concelho», dando significativa expressão económica a uma atividade tradicional e ocupando uma área de mais de 25 mil metros quadrados.

Assim, nos próximos dias 7, 8, 9 e 10 deste mês, mais de oito dezenas de produtores de fumeiro de Vinhais vão apresentar orgulhosamente o seu “tesouro” de inverno, onde não faltam os salpicões, chouriças de carne, butelos, alheiras, chouriços azedos, chouriças doces, produzidos de forma genuína e tradicional. A designação de “tesouro” diz quase tudo e encerra o que de mais valioso têm as gentes da vila.

«Há 20 anos atrás, um qui-lo de fumeiro já custava oito contos, muito dinheiro, porque simplesmente as pessoas não queriam vender. Era e é uma riqueza, agora com mais produção

e partilhada, mas que antes era apenas para consumo doméstico», valorizou Carla Alves.

Há vários anos que a Feira do Fumeiro de Vinhais consegue atrair mais de 50 mil visitantes, o que tornou o evento gastronómico, sem dúvida, o maior de todo o interior norte do país, conferindo à vila transmontana o título merecido de “Capital do Fumeiro”. A organização, a cargo da Câmara Municipal de Vinhais e da Associação Nacional de Criadores de Suínos de Raça Bísara, espera continuar a fazer jus ao epíteto mesmo em tempos de crise. Nas últimas edições foram comercializadas mais de 40 toneladas de fumeiro «e este ano estamos convictos que voltaremos a escoar praticamente todo o produto», vaticinou Carla Alves.

No certame, para além do Fumeiro existe um espaço gourmet, feira de artesanato, exposição de maquinaria agrícola, feira de gado, tasquinhas e restaurantes. Um conjunto de apostas que representam um volume de negócios e «uma fonte de receita de extrema importância para a economia local», numa receita que se estima na ordem dos seis milhões de euros.

A Feira do Fumeiro de Vinhais é também uma festa e motivo para o regresso de muitos transmontanos à região. Daí a necessidade de nunca descurar a animação. Durante o dia, quase em permanência, passarão pelo recinto diversos grupos de gaiteiros, de concertinas e bandas filarmónicas. À noite há concertos e arraiais, fazendo do evento de cariz gastronómico a maior festa do concelho.

Fonte: Diário do Minho | Rui Lemos | 2 de fevereiro de 2013

Partilhar:
Facebook Twitter Linkedin Digg Delicious Reddit Stumbleupon Email

Comentários

comments