“Podem bater palmas, a economia está a mexer”

“Podem bater palmas, a economia está a mexer”

O Primeiro Ministro, António Costa, visitou a Feira do Fumeiro de Vinhais que considerou um exemplo claro de como se promove o desenvolvimento no país: “o que acrescenta valor é o que é diferente”, defendeu depois de visitar o certame e de perceber que neste território a fileira do fumeiro é geradora de um volume de negócios superior a seis milhões de euros.
“Senhor Primeiro Ministro pode dizer ao resto do país que esta terra não está deprimida, a economia aqui está a mexer”, defendeu o presidente da Câmara de Vinhais, Américo Pereira, explicando ao Primeiro Ministro de Portugal que o município que preside tem dado um contributo sério para o desenvolvimento do país. Provado disso é o volume de negócios, já a ultrapassar os seis milhões de euros, que são gerados de forma direta e indireta graças à fileira do Fumeiro.
Este certame, com 37 anos de vida, é hoje motivo de visita para mais de 70 mil pessoas, que chegam de todo o país: “Aqui encontrei pessoas de norte a sul, muita gente do Porto”, constatou o próprio António Costa.
E foi este exemplo que Costa usou para explicar porque defende a descentralização de competências e atribuição de mais recursos aos municípios. “Os autarcas têm hoje um novo papel, o de valorizarem os seus recursos próprios, os seus produtos naturais, dinamizarem a economia do seu território”, defendeu.
“Isto demonstra bem como dar às autarquias mais meios, mais recursos e mais competências é ajudar as autarquias a contribuírem ainda mais para o desenvolvimento regional e ainda mais para o desenvolvimento do país”, acrescentou.
O primeiro-ministro agradeceu “aos produtores que mostram nesta feira o melhor da produção” e realçou a importância de que “cada região valorize aquilo que é específico”, insistindo que que Portugal precisa cada vez de “mais produtores e mais produção”.
As palavras de alento e de reconhecimento pelo trabalho desenvolvido caíram bem à organização da Feira do Fumeiro de Vinhais que, como boa anfitrião, garantiu que António Costa iria provar o melhor do Fumeiro de Vinhais, oferecendo-lhe um cabaz com produtos locais.
Porque o medo do frio afasta muitas vezes os potenciais turistas de Trás-Os-Montes, Américo Pereira teve o cuidado de garantir que Costa iria estar bem agasalhado na sua passagem pelo Nordeste e ofereceu-lhe uma Samarra, o agasalho típico dos homens do campo. “Temos aqui uma Samarra que mandamos fazer para si, vamos ver se está à medida”, disse Américo Pereira em tom de brincadeira. “Quanto à medida já não sei, depois de provar o Fumeiro de Vinhais se calhar as medidas já alargaram um bocadinho”, respondeu no mesmo tom o chefe do Governo. Mas a Samarra serviu e Costa seguiu a sua visita com o agasalho vestido.

Partilhar:
Facebook Twitter Linkedin Digg Delicious Reddit Stumbleupon Email

Comentários

comments